A importância da análise microbiológica no controle de qualidade dos alimentos

Análise

Por meio dessas análises, é possível obter informações relevantes sobre a contaminação nos alimentos, abrindo um leque de opções para eliminação e controle de microrganismos patogênicos e deteriorantes

Os alimentos são a principal fonte de nutrientes necessários à manutenção da vida humana, porém quando não possuem a qualidade necessária podem também ser uma fonte de doenças que, em alguns casos, levam a sérios danos a saúde.

A produção de alimentos enfrenta múltiplos desafios na rotina para manter a qualidade e segurança do alimento e, para isso, utilizam diversas ferramentas para assegurar a saúde dos consumidores e reduzir as perdas durante o processo produtivo.

Entre as principais ferramentas utilizadas pelos produtores de alimentos estão as análises microbiológicas realizadas durante todo processo produtivo. Estas análises englobam o monitoramento das matérias primas, ambiente, manipuladores e produto acabado.

Os laboratórios responsáveis pelas análises microbiológicas realizam ensaios em diversas matrizes alimentares, com o objetivo de isolar, identificar e quantificar os microrganismos presentes nas amostras. Análises laboratoriais são pontos-chave no controle microbiológico e visam reduzir ou eliminar pontos que são tão indesejáveis em toda a cadeia alimentar.

Logo, essas análises servem para nortear as tomadas de decisões em relação ao processamento de um alimento, que efetivamente determina a qualidade final de um produto.

Os produtores de alimentos no Brasil devem seguir uma série de regulamentos estipulados pelas leis brasileiras. Durante todo processo produtivo, é necessário seguir as boas práticas de fabricação/manipulação observando a regularidade de todas as etapas, mantendo bons níveis de consumo e preservando as qualidades e características necessárias aos seus produtos.

RDC 331/2019 E IN 60/2019

Em dezembro de 2020, entraram em vigor duas novas legislações relacionadas a qualidade microbiológica de alimentos: RDC 331/2019 e IN 60/2019.

O conteúdo da RDC 331/2019 abrange toda cadeia produtiva dos alimentos, tratando dos padrões microbiológicos e suas aplicações. Na resolução, se enquadram os processos de produção, armazenamento, transporte, distribuição, comercialização ou qualquer outra etapa que faça parte da cadeia de alimentos. De acordo com ela, os alimentos não podem conter microrganismos patogênicos, toxinas ou metabólitos em quantidades que causem danos à saúde do consumidor.

Já a IN 60/2019, que complementa a RDC 331/2019, apresenta as listas com os padrões microbiológicos para alimentos prontos para oferta ao consumidor. Esse padrão, de acordo com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), é o critério que define a aceitabilidade de um lote ou processo. O objetivo da definição desses padrões e sua adoção em toda cadeia de produção dos alimentos é a garantia da saúde do consumidor.

Para promover um ambiente de análises de excelência no laboratório microbiológico, a Controllab oferece múltiplas soluções para o controle de qualidade, contemplando as matrizes de leite e derivados, farinha e similares, produtos cárneos, bebidas não alcoólicas e a identificação / quantificação dos principais microrganismos alimentícios. Essas soluções facilitam o reconhecimento para os processos de acreditação e órgãos regulamentadores.

A Controllab tem o mais amplo portfólio para o monitoramento da rotina analítica.  Acesse o site, entre em contato pelo e-mail contato@controllab.com ou pelo telefone +55 (21) 3891 9900.

Assine nossa newsletter

Receba publicações relevantes sobre laboratório e soluções para 
gestão da qualidade.

ENTRAR

acesso ao sitema

Estamos enfrentando alguns problemas de acesso ao sistema, pedimos a compreensão de todos. Tente novamente em alguns minutos.

AVISO DE COOKIES

Nós usamos cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência, possibilitando uma navegação mais personalizada, de acordo com as características e o seu interesse.

Para mais informações consulte a nossa Política de Privacidade e Segurança.

PRM 0009

Acreditação Cgcre/Inmetro - Produtor de Material de Referência Certificado

A Controllab é acreditada como Produtor de Material de Referência Certificado (MRC) desde 2016 pela Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE), do Inmetro, sob o n.º PMR 0009. A avaliação dessa conformidade é realizada conforme os requisitos estabelecidos nas normas ABNT NBR ISO 17034 e Inmetro, garantindo assim a competência para a produção dos MRC, conforme Escopo de Acreditação.

Esta acreditação atesta a competência técnica da Controllab em produzir MRC, conforme requisitos internacionais e a habilita para ser reconhecida em outros países, conforme acordos de reconhecimento mútuo, estreitando as barreiras técnicas entre o Brasil e os outros países dos Continentes.

CAL 0214

Acreditação Cgcre/Inmetro - Laboratório de Calibração

Em dezembro de 2002, o Laboratório de Calibração foi acreditado pela Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE) do Inmetro. Com esse reconhecimento, tornou-se parte integrante da rede brasileira de laboratórios acreditados, sob o nº214. Desde então, é avaliado periodicamente para a manutenção e/ou extensão da acreditação.

O selo do Inmetro atesta competência técnica, credibilidade e capacidade operacional da Controllab para os serviços de calibração, conforme requisitos da ABNT NBR ISO/IEC 17025.

PEP 0003

Acreditação Cgcre/Inmetro - Laboratório de Controle

Em setembro de 2011, a Controllab foi acreditada pela Coordenação Geral de Acreditação (CGCRE) do Inmetro como provedor de ensaio de proficiência, sob o nºPEP0003. Inicialmente dentro de um projeto piloto do Inmetro, esta acreditação baseou-se na ILAC G13: 2007 e incluiu diversos ensaios clínicos e de hemoterapia. Nas avaliações periódicas desta acreditação novos segmentos e ensaios são incluídos e a avaliação passa a ser conduzida segundo a ABNT NBR ISO/IEC 17043.

Esta acreditação atesta a competência técnica da Controllab em desenvolver e conduzir ensaios de proficiência conforme requisitos internacionais e a habilita reconhecida em outros países, conforme acordos de reconhecimento mútuo firmados pelo Brasil no Mercosul, Américas e Europa.